terça-feira, 14 de outubro de 2008

Sputnik Sweetheart.



Nunca gostei de autores japoneses. Assim como entro em convulsões violentas sempre que me falam em Paulo Coelho. Ou Nicholas Sparks, para o mesmo efeito. Mas este livro está a ser qualquer coisa de positivo. So far so good. Quando terminar, logo vos digo se me rendi às japonezices.

7 comentários:

Helena de Troia disse...

Nao digas mal do Nicholas Sparks... tss tss.. li os livros todos dele ha uns anos (os ultimos ja nao) e gooooostei (mais de uns que de outros claro).
Mas se queres uma optima escritora com livros interessantes e que prendem, lê Sveva Casati Modignani.. ela escreve histórias dentro de periodos historicos que aconteceram, faz romances, conta historias de vida.. muito bom, muitooooooo bom.. nao é aquele romancezeco ridiculo à paulo coelho (nao li nem um), é OPTIMO!!! =)

Bee. disse...

murakami é o (L)
se tiveres num mood surrealiticó-romantico lol



*

R.L. disse...

Concordo. Nicholas Sparks, sem querer desfazer, associo a telenovelas da TVI. Paulo Coelho, achava-lhe piada aos 15 anos.... Japoneses, nunca li nada deles. Tenho de averiguar.

Gosto do blog!

Joana Pestana disse...

Quando se começa a gostar de Murakami, não se pára mais.
Ele vive num mundo completamente à parte.
Aconselho-te também o Kafka à Beira Mar.

Leila* disse...

Eu também não era fã de japonezices, até ler "A última amante de Hachiko" de Banana Yoshimoto. Fiquei mais convencida. :)

Leila* disse...

Eu também não era fã de japonezices, até ler "A última amante de Hachiko" de Banana Yoshimoto. Fiquei mais convencida. :)

Leila* disse...

Eu também não era fã de japonezices, até ler "A última amante de Hachiko" de Banana Yoshimoto. Fiquei mais convencida. :)