terça-feira, 14 de abril de 2009

Aí Javali - II

Depois da entrevista fomos comer croissants à Benard. Lá estava eu, camisa branca, vestido cinzento, gabardine, sapato de salto alto preto, cabelo como uma senhora (ao contrário do normal, em que cai por onde quer, e eu deixo, porque i just can't be bothered), mala pendurada entre o cotovelo e o pulso, palma da mão virada para cima. Tive de parar para carregar o telemóvel no ATM do Chiado. Premi uma vez e não deu. Premi duas e nada. *suspiro* Soltei um "Fuodasse" com as letras todas e com a pausa necessária entre cada uma para dar o devido efeito.
Ele: "pareces uma senhora mas no fundo, dentro de ti, permanece a taberneira"







É por estas coisas que és a minha cena, j. Isso e por passarmos a noite de Sexta a ler o blogue do outro.

7 comentários:

Kel disse...

Eheheh Taberneira não... descontraída!
É assim mesmo!
***`s

A Rainha disse...

:D No doubt, you're a lady!

disse...

é o amor.


queríamos foto dessa indumentária...


*

R.L. disse...

tou q nem posso dos meus pézes! de nada pelo email! como correu a entrevista?

Lady Oh my Dog! disse...

é assim mesmo, cuaralho!

(adoro esta série "Aí Javali". Isso é que é uma expressão cheia de classe.)

akacorleone disse...

taberneiras á paisana é um clássico k nunca devia morrer!

becodosprazeres disse...

oh pá...sempre. eu conheco umas tabernas brutais..a malta ia sentir-sem em casa. mas nunca, nunca descer do salto :P